26 de fevereiro de 2017

H de ... Haider Ackermann

 
"When I actually start a collection it is part of a whole fantasy. 
I fantasise about her life – clothes are just part of the process."
Haider Ackermann via The Dvine


Se escolhêssemos um designer para ser o Charme em pessoa, seria Haider. O criativo de 45 anos, nasceu na Colômbia mas foi adoptado por franceses, passando a sua vida na Etiópia, França e Holanda. Foi na Bélgica que se focou no estudos, na Royal Academy of Fine Arts. É portanto mais um fruto da árvore criativa genial que é a Antuérpia, porém nunca concluiu os estudos. Após trabalhar com diferentes designers e marcas, lançou-se sob nome próprio em 2002. 



Em 2013 complementou o seu trabalho para o público feminino com uma linha masculina. Boatos correm de que foi  a primeira escolha para assumir a direcção da Dior, após a saída de um dos seus primeiros mestres, John Galliano e que Lagerfeld o elegeu como justo sucessor na Chanel... Por enquanto divide-se entre a sua marca e a Berluti, nome parisiense de vestuário masculino, desde 2016. Por enquanto vende online, para lojas multimarca e armazéns mas uma loja própria está nos planos do designer.

Primavera 2017

Primavera 2017

Os drapeados, plissados e camadas fazem parte da sua assinatura, construindo silhuetas misteriosas. O seu processo criativo não tem um tema para cada colecção, mas sim uma narrativa contínua e sempre bastante pessoal. Para as colecções femininas, começa por escrever a história da sua musa imaginária ou em que fase da vida ela se encontra. Já para homem, o início são os materiais. A meu ver, o público-alvo / inspiração de Ackermann é epítomo da elegância, mesmo no meio de viagens a locais completamente distintos, como África ou Estados Unidos. É assertivo e sabe aquilo que gosta de vestir, ousando sem pretensões de chocar ou fazer-se notar. Ao étnico junta-se um pouco de rock boémio e effortless parisiense. Basta dizermos que é muito amigo de Tilda Swinton, para entender a aura da sua musa.  

Tilda e Haider numa prova para o festival de Cannes

Haider é um homem conhecido e reconhecido, mas discreto. Não alinha no jogo das redes sociais e prefere os bastidores às festas. Segundo estas suas palavras, podemos considerá-lo também bastante modesto: "I won’t be remembered. We have amazing designers like Cristobal Balenciaga, Coco Chanel, Madame Gres, those are people to remember. I am living in the moment, doing what I like to do, searching for something and clothes are the way I do it."

 Primavera 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário