Dandy

Dandy é a personificação do homem boémio, mas dono de uma classe e cultura soberbas. Caracteriza- se pela boa aparência, sempre preocupado com a imagem, fascinado pela aprendizagem e pelo lazer.
Este estilo nasceu no fim do século XVIII, em Inglaterra, pela mão de homens de classe média que se faziam parecer com a nobreza, através das vestes e postura cuidadas e cavalheirescas. Críticos da época diziam que os dandys tinham a estética como sua religião, mostrando a preocupação destes com a imagem. Embora tal realmente fosse verídico, muitos dos dandys reconhecidos da altura eram indivíduos ímpares nos campos culturais, como Oscar Wilde na literatura. Para mim Fernando Pessoa é o exemplo português mais evidente. Hoje em dia temos ícones dandys um pouco mais versáteis, como Pete Doherty, Kate Moss, Agyness Deyn, Jude Law, George Clooney, a personagem Chuck Bass de Gossip Girl...

De um ponto de vista menos superficial, o dandysmo pode ser considerado um protesto que visa a ascenção de classes, procurando e defendendo a igualdade. Esta ideia pode- se reflectir nos dias que correm, visto a moda se ter democratizado imenso, permitindo o uso de indumentária mais formal em ocasiões diárias. Também a escolha de objectos de conotação clássica e vitoriana nos outfits é mais comum, como por exemplo relógios de bolso, suspensórios, coletes, papillons, chapéus, casacos de smoking, sapatos de atacadores. Isto no primeiramente no vestuário masculino, mas que rapidamente passaram a ser utilizados por mulheres.

É aqui que mais podemos verificar a democratização do estilo dandy, que se encaixa no gosto de homens e mulheres, tendo versatilidade suficiente para se misturar com outro tipo de estilos. Ao usarmos peças de roupa tipicamente masculinas, manifestamos de algum modo uma vontade de mantermos uma posição activa, quando um rapaz utiliza suspensórios com calças sportswear e chapéu, reflecte um gosto por peças clássicas, mesmo que a sua idade não o demonstre.

Vamos acreditar que o verdadeiro dandysmo ainda existe e que não é só uma questão de "moda", que vem e passa. A explosão deste estilo não se dava tão claramente desde os anos 50, até ao Outono Inverno 2008 em que criadores como Armani e Dries Van Noten exibiram nos seus desfiles classe masculina intemporal. Nas ruas o dandysmo reflectiu- se não só nas roupas, mas muito também nos cortes de cabelo masculinos- cabelo puxado para trás e longas franjas usadas lateralmente- e no uso de bigode, exercendo uma imagem forte e que nos remonta para os cavalheiros do século XIX.

Seguem-se algumas imagens capturadas por mim que respiram algum dandysmo.

Casaco, Papillon e chapéu de estética Dandy
Modelo: David Correia


Destaque para o chapéu e modo de utilizar o lenço
Modelo: Rapaz Inglês


Sapatos de atacadores personalizados por Rita Moreira


Sapatos de atacadores, vertente mais sportswear


Conjunto tipicamente dandy: Camisa branca e colete preto
Modelo: Madalena Pereira


Dandysmo no feminino
Modelo:Rita Ricardo

Comentários

  1. Os conteúdos têm vindo a surpreender sempre pela positiva, cumprindo expectativas. Bom trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Trending