21 de outubro de 2015

Digo-vos o Que Visto



Este é o sexto mês desta brincadeira de Diz-me o Que Vestes (Dir-te-ei Quem és). Acho pouco justo pedir a pessoas para tirarem fotos e participarem nesta rubrica enquanto eu nunca o fiz! A verdade é que não me identifico com esse tipo de exposição à la blogger... Mas chegou a altura de vos mostrar os Eus que vivem através do meu estilo. Durante as férias de Verão fui pedindo para me fotografarem quando ia um pouco além do bikini + calção, fórmula base do modo praia! Consegui as sete fotos a custo, por estar dependente da preguiça-férias, que me dificultava a veia fashion, e da paciência dos fotógrafos :) (obrigado!)



Dia 1:
Esta sou eu em modo férias-preguiça: t-shirt básica e saia airosa. Esta saia comprei na "Loja das Velhas" em Castelo Branco por cinco euros. É uma loja cheia de peças em primeira mão, mas sempre anteriores aos anos 90. Se estava com a minha malinha Chiquinha significava que não ia para a praia mas talvez almoçar ou tomar café. Nos pés tinha as babuscas-alpergatas lindas da Zara!

Dia 2: 
Este bikini foi-me dado pela minha avó há 11 anos! Ainda uso a parte de cima e é incontornavelmente a minha favorita. Faz-me sempre pensar naquela atmosfera de trópicos brasileiros. Calção curto porque vou para a praia, casaco porque em Portugal, ao contrário do Brasil, a meio da tarde começa um vento demoníaco que exige uma camada extra, mais forte que t-shirt. Nos pés, chinelos básicos básicos.

Dia 3: 
Mudança de interface! Breve viagem até casa para colocar roupa a lavar e partir para outras praias! Este foi o meu vestido favorito de Verão e foi-me oferecido pela minha mãe, que o comprou nos saldos, apesar de lhe ficar um número acima... Tão bom ser a musa de Botticelli da família! Aqui podem ver melhor a Chiquinha e finalmente o calçado: Adidas no Freeport. Mochilão da loja dos militares, o que resulta numa carapaça de tartaruga super ergonómica, que se enche até o deixar de ser, e casaco de ganga, meu bestie sempre!

Dia 4:
De cima para baixo: Chapéu das idosas comprado em Peniche, t-shirt listrada é sempre básico básico, saco de praia (com padrão muito hipster) que comprei por 1,5€ nas Caldas da Rainha há uns anos, o meu calção de Verão outra vez e nos pés chinelos básicos básicos.

Dia 5:
Tenho a mania de inventar uns nunca-vou-usar/fazer que depois, passados largos anos, me explodem nas mãos. Começo este artigo com um nunca-vou-colocar-aqui-fotos-de-look-género-blogger-de-moda e depois vem a foto comprovativa da explosão do nunca-vou-usar-amarelo! Lembro-me de dizer o mesmo sobre roxo aos 12 anos... A aversão cromática virou-se depois para o amarelo até este Verão, em que a minha pele contrastou na perfeição com este vestido. Ia jantar fora e queria ir de perna descoberta por isso reforcei com esse casaco super quente. Usei-o em Londres, Novembro passado, e quem diria que o tirava do armário em Portugal durante o mês de Agosto? Este outfit ficou uma misturada engraçada e que me faz sorrir pelos pequenos riscos que vou correndo após uma fase mais controlada... Aplausos para as fanny packs! Esta foi a Maria que me ofereceu e era da avó dela.

Dia 6:
Uns óculos de sol têm o poder de mudar a nossa personalidade do estilo assim que os experimentamos na loja! Com estes torno-me na Miss V, uma mulher que balança entre o sofisticado das praias mediterrâneas e o kitsch  do seu gabinete de Tarot clandestino. 
Perguntam vocês:
- Mas Ana, onde está aqui Sofisticação mediterrânea e Kitsch clandestino? Os dois elementos prendem-se somente aos óculos?
Eu respondo:
- Ambos os elementos têm que ver com os óculos de sol mas a sofisticação vem deste vestido preto de silhueta coluna, costurado por mim, como saída de praia e no cesto meio tradicional de palhinhas. O kitsch vem sobretudo do lenço que uso na cabeça, oferecido pela minha avó e cujo print são os monumentos emblemáticos de Paris em tons de rosa e dourado! Vêem, só precisamos de um pouco de imaginação!

Dia 7:
Miss V continuou na minha vida enquanto fez sol. Aqui canalizei-a às portas da Casa das Histórias Paula Rego, em árvore do yoga. O vestido é o meu Little Black Dress que uso mais vezes e que consegue ser mesmo versátil. Na imagem não de percebe o cair drapeado devido à amplitude da perna. As sandálias (finalmente pés não cortados!) foram uma aquisição inesperada em termos de estilo, mas serviram para várias ocasiões. Em relação ao turbante, é um risco que a Miss V me fez correr e por isso adoro-a e espero ansiosa a sua próxima visita!

2 comentários: