5 de junho de 2016

Desafio: Comer Bem em Madrid


Um dos meus grandes medos é também um dos meus maiores prazer, conhecer diferentes gastronomias. Não adorando o que já conhecia da espanhola, para mim era um desafio comer bem em Madrid, tanto a nível de sabores como de escolhas saudáveis.

Pedi dicas a uma ex local, a minha amiga Cristina, e descobri antecipadamente que no El Tigre são bastante generosos: quando pedimos uma cerveja (por cerca de 2,50€) oferecem-nos um prato de tapas. Sim, oferecem! Perante esta genialidade tornou-se um local obrigatório de passagem, onde acabei por "almoçar" paella, pão com peito de frango grelhado e chouriço assado, tudo excelente! Outro dos conselhos da Cris foi ir provar um bocadillo de calamares & patatas bravas num dos locais mais típicos da Plaza Mayor, La Ideal. A sanduíche de lula panada e as batas assdas com molho picante foram uma boa dose de calorias e a ela se juntaram duas fatias de tortilla, oferecida com a cerveja! Esta hospitalidade é óptima para o turismo mas péssima para a saúde e ao terceiro dia só pensava em sopas e saladas. Sou um bocado chata com isto sim, preciso de dose diária de legumes e quando abuso de fritos e doces a minha pele, humor e corpo ressentem-se de imediato. Mas já lá iremos...


Perto de Malasaña encontrámos a Taberna San Bernardo e decidimos entrar para jantar. A medo escolhi o mais fácil de acertar, almôndegas! Estava delirante com a minha decisão a imaginar todo um molho em cima de esparguete, puré de batata ou até arroz! Chegou à mesa a travessa com as bem ditas meat balls e como acompanhamento uma cesta de pão. Só o prato de carne correspondia a 9€. A decepção foi enorme mas o sabor quase compensou. Só depois descobri que em Madrid o hábito das tapas é mesmo a sério e que qualquer prato é facilmente composto por um só elemento e os acompanhamentos são sempre pedidos (e comidos!) à parte. 



Chegamos ao dia 3 e na mesma rua encontrei contentamneto para a minha fome saudável. Na Calle Espíritu Santo  há um restaurante pequenino de take away e com mesas altas. Chama-se Aliño e deixa a sofisticação à parte para nos presentear com menus super completos e com um preço muito simpático. Tem imensas opções e muitas delas amigas de vegetarianos e vegans. Escolhi sopa, caril de frango com arroz e salada e bebi uma limonada. A conta foram 5,50€ e fiquei grata por aquela dose de vitaminas. O reforço foi dado mais abaixo na gelataria artesanal Lolo, onde uma pequena selecção de sabores se apresentava em formato de popsicles. No dia anterior, domingo, tinham vendido tudo e como ainda era cedo estavam em produção de mais sabores. Espreitei a cozinha e é mesmo como o simpático empregado explicou, a fruta é passada ali e misturada com iogurte ou leite. Poucos ingredientes resultam num doce gelado bem saudável. 


Prestes a despedir-me desta cidade linda passei por uma loja de pipocas gourmet, a Fol. Tinha provado no dia anterior e não resisti a uma mistura louca para quem não é muito de doces: caramelo e meia de leite. Resta-me dizer que foi o meu souvenir favorito!

Sem comentários:

Enviar um comentário