12 de dezembro de 2016

Cheirosa




Porque nem só de Amour Amour ou nº5 se faz a perfumaria no feminino, estas são opções que fogem um pouco ao convencional. A lista de desejos, no que toca a perfumes é sempre extensa e fica a aqui a faltar, principalmente, o sonho Zadig & Voltaire, frutado e doce.



DKNY Be Tempted Eau de Parfum | As versões da fragrância de Donna Karan são inúmeras e alcançam sempre o sucesso. O simbolismo da maçã dá vida aos perfumes que mimetizam o fruto no frasco e no aroma. Se querem o caminho mais fácil... esta é uma escolha bastante consensual.

Infusion d'Amande da Prada | Vidrei neste perfume unisexo e acho que é o melhor desta colecção, em que todos os aromas são bem directos, quase sem rasteira de topo, meio e base. Como disse aqui, tem um cheirinho a amêndoas e anis, a lembrar os produtos para bebé.

L'éau D'Issey Pure | Leve e marcante, os melhores sinónimos para esta fragrância. Impossível? Miyake já provou que gosta de ultrapassar barreiras e esta versão é uma mistura improvável: jasmim, flor de laranjeira, notas oceânicas e amadeiradas

Miu Miu Eau de Parfum | O primeiro perfume da filha mais nova de Miuccia Prada foi um sucesso. O packaging ajudou a que todas quiséssemos o produto, mesmo antes de saber a que cheirava. Sou grande adepta de aromas quentes e doces e arisca a frescos e a opções muito populares. Contudo, após semanas e semanas quentes a usar um Si que de Verão tinha pouco, rendi-me à frescura do Miu Miu. Citrinos, jasmim, rosa e um travo de relva acabada de cortar (mas em bom, contemporâneo e inesperado) são os aromas que mais me ficam na memória.

Yvresse de Yves Saint Laurent | Foi a surpresa dos últimos tempos. Chamou-me a atenção pelo frasco, bem simples e avant-garde, tal como o resto da La Collection YSL. O aroma é quente, enigmático, frutado. Ideal para uma fã de Prada Candy ou Viva La Juice Gold que entretanto cresceu (eu 😊).

Sem comentários:

Enviar um comentário